Arquivo mensal: janeiro 2014

Unanimidade

Quem julga não tem meio termo. Sim ou não são as únicas opções. Mas, num julgamento, creio que todo sim tenha um pouco de não e que todo não tenha um pouco de sim. Por isso, por mais unânime que seja uma decisão, jamais a considero absoluta.

(Adriano Duarte)

Apenas

Toda vez que leio a palavra “apenas” em algum lugar, eu paro e releio com carinho. Sei que esta palavra é colocada muitas vezes para mostrar que existe uma sutileza, algo importante, aquilo que não se pode deixar de ser dito, mas que não caberia ser escrito em letras garrafais.

Quando os meus olhos veem a palavra “apenas”, sinto como se naquele momento eu pudesse perceber o olhar de quem a escreveu.

(Adriano Duarte)

Exercício Diário

Bem no coração.
Paz na cabeça.
Saúde no corpo.
Espiritualidade na alma.
Gratidão pela vida.
Se priorizarmos estes estados em nossas atitudes cotidianas, facilitaremos, e muito, o trabalho do Universo para que a nossa vida seja boa, feliz e plena!
Assim, basta fazermos o nosso melhor e confiarmos ao Universo tudo aquilo que não temos poder de mudar.

(Adriano Duarte)

Resiliência

Andei pensando no conceito de resiliência.

Creio na importância de resistir aos impactos que a vida impõe. Mas aprendi uma coisa nos últimos anos: A cada impacto, deve-se ceder um pouco. A vida nos bate, a gente muda um pouco, aprende, e se acostuma a conviver com a marca que ficou. 

Ser resiliente demais pode ser teimosia! Resistir aos impactos sem mudar nada pode significar o mesmo que dar uma carta branca para a vida bater até que a lição seja aprendida e a marca fique.

A vida é generosa e persistente!

Mais se aprende e menos doloroso será se a vida precisar bater menos para nos ensinar!

(Adriano Duarte)