Arquivo mensal: maio 2014

A Cor Sem Nome

Laranja, minha cor preferida, é uma cor sem nome. Não é como o azul, o verde, o marrom, o branco, o preto e tantas outras.
Seus pais, amarelo e vermelho, não a registraram. Por conta disso, ela é chamada pro apelidos: cor-de-laranja, cor-de-abóbora, cor-de-brasa, alaranjado (que lembra o “parece, mas não é” do achocolatado)…
Roxo era violeta, quando não tinha nome.
Rosa é uma cor que tem nome, porque as rosas têm diversas cores. Inclusive, quando pensamos em rosas, a imagem das rosas vermelhas são as primeiras que vêm à mente. “Rosa é uma cor, rosa é uma flor, rosa é um nome de mulher”, como disse Jooge Ben Jor em “Take it easy, my brother Charles”.
Salmão, que é outra cor sem nome, no fundo é um tom de laranja.
O céu azul de outono passa despercebido por muita gente, mesmo sendo lindo. Mas não tem quem não repare na beleza do alaranjado do amanhacer.
Minha cor preferida é secundária, sem nome, chamativa, difícil de combinar.
Cor alegre, quente e surpreendente, pode até continuar sendo indigente, mas é, e continuará sendo, a mais linda para mim!
Minha aura e minha alma brilham e vibram com esta cor.
A minha cor!

(Adriano Duarte)