Arquivo mensal: abril 2017

Por que tanto desemprego, tendo tantas coisas para fazer?

Você já parou para pensar em algo que seja capaz de explicar a quantidade de pessoas desempregadas, mesmo tendo tantas coisas para fazer?

E não estou falando apenas do Brasil. Ao redor do mundo, a situação é semelhante na maioria dos países.

A resposta é simples, mas não é simplista:

Ao invés de fazermos o que precisa ser feito, fazemos apenas o que dá lucro!

E não basta dar lucro. Na lógica capitalista, um emprego somente é gerado se o resultado do trabalho for um volume de lucro que seja atraente para o patrão.

E os trabalhos que precisam ser feitos para tornar melhor a vida da nossa sociedade, mas não rendem lucro?

Ninguém faz!

Por que ninguém faz?

Porque nós (ainda) não entendemos que governo nenhum no mundo existe para dar lucro!

Vamos pensar um pouco…

A iniciativa privada já transforma em emprego aqueles trabalhos considerados, por ela, capazes de gerar o volume esperado de lucro. Estipulam o preço de venda dos produtos e os salários a serem pagos, conforme seus interesses de mercado. Pagam impostos para exercer a cadeia de atividades. Mas interferem diretamente nas diretrizes governamentais em diversas esferas.

Só isso, já é capaz de gerar inúmeras injustiças.

Já os governos, que não existem para lucrar, deveriam transformar em emprego os trabalhos que não geram lucro, mas são necessários à sociedade, subsidiando-os através dos impostos pagos pelas empresas e cidadãos.

Mas, como os governos que sofrem interferência econômica direta da iniciativa privada, ao invés de assumirem a realização dos serviços que o mercado não considera atraente, aplicam os impostos pagos por todos nós como se fossem recursos de propriedade de quem detém o capital, diminuindo a possibilidade de transformar em empregos aqueles trabalhos pouco capazes de gerar lucro.

E o que podemos fazer diante de tantos poderes?

Primeiramente, devemos eleger representantes governamentais, nos poderes executivo e legislativo, nas esferas municipal, estadual e federal, que não sejam dominados pelo poder econômico da iniciativa privada.

Também, em nosso cotidiano, devemos dar preferência para comprar de empresas e pessoas que, além de oferecerem bons produtos e/ou serviços, tenham compromisso ético com a sociedade, cumpram as leis, respeitem seus funcionários, que preservem o meio ambiente e não interfiram nos governos.

Tem muita gente, bastante ignorante, vomitando que não entende como uma pessoa pode ficar parada tendo tantos terrenos para carpir.

Dizer uma barbaridade dessa deveria ser crime, haja vista que tantos profissionais com bom nível de conhecimento, em diversas áreas, penam procurando por um emprego há tempos.

Vamos continuar alienados, alimentando discursos de crise, vomitando meritocracia, mendigando migalhas do capital, competindo deslealmente, alimentando corrupção???

Ou vamos amadurecer a nossa visão e gerar condições para a nossa sociedade transformar trabalhos que não geram lucro em empregos dignos?

O desemprego só atinge esses números absurdos e estarrecedores porque a nossa sociedade permite!

Vamos assumir as nossas responsabilidades?

Vamos nos reunir para discutir o que precisa ser feito?

Vamos fazer o que precisa ser feito?

(Adriano Duarte)

Anúncios